Em casa

Existem diversas formas de cada um de nós reduzir consumos energéticos. As divisões da casa que consomem mais energia são a cozinha e a casa de banho. Assim, existem diversas pequenas acções que cada um pode concretizar principalmente no uso de electrodomésticos e na iluminação, que não só irão diminuir a conta de energia no fim do mês como beneficiar o ambiente. Começando pelo acto da compra de electrodomésticos como o frigorífico e a máquinas de lavar que têm já uma etiqueta com informação sobre a eficiência energética e o consumo de energia. Tenha em conta estas informações ao adquirir novos equipamentos.

Quando adquirir um electrodoméstico, tenha em conta a etiqueta energética. A etiqueta constitui o primeiro nível de informação e comprova o valor do equipamento. A etiqueta permite comparar facilmente a eficiência energética de aparelhos da mesma categoria. Para além disso, as etiquetas fornecem informações a nível de consumo, ruído, etc.

Um modelo pouco eficiente, mesmo sendo mais barato do que outros no momento da compra, poderá tornar-se num custo superior e desnecessário da factura de electricidade durante a vida útil do aparelho.

Frigoríficos e congeladores

O frigorífico retira o calor dos alimentos e envia-o para o exterior sob a forma de ar aquecido. Sempre que a temperatura no interior ultrapassa o nível fixado, o termostato acciona automaticamente o motor de arrefecimento, contribuindo para um aumento de consumo de energia. Deste modo os pratos cozinhados devem ser primeiro arrefecidos e embalados e em seguida colocados no frigorifico. Outras medidas possíveis são reduzir o tempo de abertura da porta, descongelar regularmente o aparelho e substituir a borracha da porta quando estiver em mau estado, a fim de evitar trocas com o exterior.

  • Tenha em conta a etiqueta energética que os fabricantes destes equipamentos colocam nos aparelhos.
  • Escolha um modelo de frigorífico ou congelador cujas dimensões e possibilidades correspondam às suas necessidades. O consumo destes aparelhos aumentam geralmente em função do volume e do número de estrelas.
  • Abra a porta dos aparelhos só quando for necessário e verifique se a borracha de vedação está em bom estado a fim de evitar fugas de ar frio.
  • Não guarde os alimentos ainda quentes.
  • Coloque o frigorífico e congelador protegidos de fontes de calor.
  • Não deixe que ocorra uma acumulação excessiva de gelo no congelador. (Descongele regularmente o aparelho).
  • Limpe pelo menos duas vezes por ano a grelha situada na parte de trás dos aparelhos, verifique também se o ar aí circula e mantenha-a afastada da parede em cerca de 5 cm (caso contrário este electrodoméstico pode estar a consumir mais 15% da energia habitual).
  • Instale o frigorífico num local ventilado, fora do alcance de raios solares e longe do fogão.
  • Deixe um espaço mínimo de 15 cm dos lados, acima e no fundo do aparelho.
  • No Inverno, regule o termóstato para uma posição de frio não muito intenso.

Máquinas de lavar roupa

  • Grande parte da electricidade é utilizada para aquecer água. Com a qualidade dos produtos de limpeza actuais, cada vez menos é necessário lavar a 60ºC, beneficiando deste modo o consumo de energia eléctrica (no entanto tenha o cuidado em escolher detergentes sem fosfatos).
  • Separe a roupa e escolha sempre o programa que necessita de acordo com o tipo de roupa que vai lavar.
  • Prefira uma lavagem com carga completa em vez de duas lavagens com meia-carga.
  • Se possível, use a máquina de lavar associada a uma tarifa bi-horária.

Máquinas de lavar loiça

  • A maior parte da energia consumida pela sua máquina destina-se a aquecer a água. Com a utilização de alguns novos produtos de limpeza poderá escolher um programa económico ou ecológico. Com este programa, consome-se a mesma quantidade de água, e a água é menos aquecida.
  • Tente lavar apenas cargas completas.
  • Opte pelo programa económico e desligue a máquina antes do ciclo de secagem, deixando a loiça secar ao ar.

Máquinas de secar

  • Os modelos de evaporação são ligeiramente mais económicos do que os modelos de condensação.
  • Encha sempre o tambor da máquina e experimente fazer várias secagens sucessivas para deste modo conseguir aproveitar o calor residual acumulado.
  • Seque os tecidos pesados e os tecidos leves separadamente para que todas as peças de roupa sequem ao mesmo tempo.
  • A roupa que necessita de ser engomada não precisa de ser totalmente enxuta.

Fogão e placas de indução

  • Quando se utiliza o fogão deve-se adequar o diâmetro do recipiente à dimensão da chama ao diâmetro da placa eléctrica e regular para o mínimo suficiente para manter a fervura. Pode-se também cobrir os tachos e panelas durante a preparação dos alimentos, utilizar sempre que possível a panela de pressão para cozinhados demorados e limpar os bicos de gás, as placas e o forno, de modo a manter o rendimento.
  • O fogão a gás continua a ser, de longe, a solução mais económica.

Ferro Elétrico

  • Evite ligar simultaneamente o ferro de engomar e outros electrodomésticos. O ferro de engomar pode sobrecarregar a rede eléctrica de sua casa.
  • Evite ligar o ferro eléctrico várias vezes ao dia. Acumule uma quantidade de roupa razoável e passe-a de uma só vez.
  • Regule no caso dos ferro automáticos, a temperatura indicada para cada tipo de tecido; passe primeiro aquelas que requerem temperaturas mais baixas (tecidos leves); Depois de desligar o ferro, aproveite anda seu calor para passar outras roupas leves.

Água quente

  • Escolha a capacidade do termoacumulador em função da quantidade de água necessária por dia.
  • Instale o termoacumulador o mais próximo possível das zonas de utilização da água quente.
  • Programe o seu termoacumulador para funcionar nas horas de vazio (na maioria, durante a noite) da tarifa bi-horária.
  • Use uma botija (Há algo muito reconfortante numa botija de água quente. Ela não aquece só os seus pés, como ajuda a aliviar dores, cãibras e gripes. Use-a, pois para além destas vantagens referidas, poupa-se imensa energia.)

Tome duche em vez de banho de imersão

  • Uma banheira média leva cerca de 130 litros de água. Um duche médio de cinco minutos gasta cerca de 50 litros. Se milhões de pessoas tomarem duches em vez de banhos de imersão, poderão poupar biliões de litros de água, poupar energia e reduzir a poluição e problemas de esgotos.
  • Evite ainda aquecer a água em demasia, - um duche com água a uma temperatura de 40ºC é suficiente para assegurar uma sensação confortável durante a higiene diária.
  • Ah, e depois não se esqueça, - Feche bem as torneiras.
  • Uma torneira de água a pingar durante uma semana pode encher uma banheira. As torneiras deverão ser reparadas sempre que funcionarem mal, e as borrachas deverão estar sempre em boas condições. 

Televisão

  • Desligue a televisão quando não estiver a ver.
  • Dê preferência a televisores mais modernos que consomem menos energia.
    • Desligue o controle remoto da sua televisão
      • Milhões de televisões estão preparadas para se desligarem pelo comando à distância, deixando o aparelho a gastar 1/4 da sua energia durante toda a noite. Este desperdício poderia ser evitado se os aparelhos fossem desligados directamente.

Ar condicionado

  • Escolha o sistema que melhor se adapta às suas necessidades, tendo em conta a eficiência energética e o consumo de energia;
  • Limpe os filtros regularmente;
  • Não utilize o ar condicionado com as portas ou janelas abertas.

Isolamento

  • A energia utilizada para climatização, representa uma grande parte do consumo energético total. Este consumo, reflecte-se nas facturas de energia e no aumento de poluição. No entanto, existem maneiras de reduzir este consumo sem diminuir o bem estar e o conforto dos ocupantes. Deve-se diminuir o consumo de energia usado no aquecimento ou na refrigeração caso se trate da estação fria ou quente respectivamente, recorrendo a algumas medidas práticas, tais como: actuar no isolamento da casa, nas janelas e cortinados e na calafetagem das frechas.

Iluminação

  • Evite acender lâmpadas durante o dia, utilizando a iluminação natural. Abra bem as janelas, cortinas e persianas e prefira luz natural. Optimize as condições de aproveitamento da luz solar que é gratuita.
  • Desligue a iluminação sempre que não precise.
  • Use iluminação apropriada dirigida para a leitura, trabalhos manuais etc., pois oferece maior conforto e economia.
  • Pinte o teto e paredes internas com cores claras, evitando o uso de lâmpadas de maior potência.
  • Use lâmpadas eficientes. As lâmpadas fluorescentes compactas são consideradas lâmpadas eficientes, não aquecem e têm uma duração muito superior às incandescentes. Apesar de serem mais caras que as lâmpadas incandescentes, as lâmpadas fluorescentes duram 8 a 12 vezes mais e reduzem substancialmente o consumo de energia eléctrica (até cerca de 80%).
    • Lâmpadas incandescentes VS lâmpadas fluorescentes compactas
      Poupança: (tendo em conta o kW a 0.088 euro)
      • em 3 anos → 15,30 euros
      • em 5 anos → 32,40 euros
      • em 10 Anos → 65,53 euros

Tarifa bi-horária

  • Para a generalidade dos clientes domésticos é aplicada a tarifa simples. Mas, esta tarifa poderá não ser a melhor opção caso tenha consumos elevados. Com este tarifário não pode usufruir de reduções no preço da energia, o preço do kWh é constante em todas as horas do dia. Ao optar pela tarifa bi-horária, usufrui de uma redução no preço do kWh nas horas de vazio. Pode ainda escolher o horário que mais lhe convém: ciclo semanal ou diário, em dois períodos sazonais: Inverno e Verão.
  • Para mais informações clique no link: http://www.edp.pt
     

E ainda:

  • Não deixe que existam em sua casa fios mal emendados, descarnados ou mal isolados.
  • Use fios de diâmetro correcto para cada finalidade e não emende fios de espessuras diferentes.
  • Evite usar aparelhos eléctricos no horário de pico de consumo.
  • Desligue o quadro eléctrico quando se ausentar por muito tempo (férias, etc.)
  • Dê preferência aos electrodomésticos mais eficientes.